Alex and Candido, Engineer and Tax Lawyer, Rio De Janeiro

photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong
photo by Kevin Truong

Alex and Candido, in their own Portuguese words: “O que ser gay significa para nós?

Ser gay na verdade é ter coragem de se assumir gay. Boa parte do preconceito está dentro de nós mesmos, nas nossas fantasias sobre o que a família e sociedade pensam de nós. A partir do momento em que você se despe dos seus próprios preconceitos e medos, ser gay se torna nada mais do que uma característica pessoal assim como tanta outras. Ser gay não nos define como alguém que faça parte de um grupo diferente, para nós, simplesmente significa que em termos de relacionamento amoroso nos sentimos completos com alguém do mesmo sexo. Somos apenas duas pessoas comuns que decidiram seguir a vida juntos.

Quais os desafios e sucesso nós tivemos?

O maior desafio em relação a ser gay foi superar os nossos próprios preconceitos e entender que ser gay não nos fazia diferentes ou menos respeitáveis. Assumir-se gay para a família foi um desafio que aos poucos fomos superando. Mas nós pensamos que esse desafio na verdade se tornou o nosso maior sucesso. Ser amado, aceito e acolhido pelos nossos pais, irmãos e demais familiares foi algo sem dúvida muito gratificante. Não há nada mais lindo hoje do que ver a felicidade de uma mãe ajudando nos preparativos do nosso casamento e de uma avó, uma senhora de 83 anos, toda orgulhosa por ter sido convidada por nós para levar nossas alianças ao altar.

Como é a comunidade gay no Rio de Janeiro?

Acho que é igual a todos os demais lugares do mundo. hehehe Atualmente estamos mais focados na nossa vida em família e nas nossas profissões. Não pensamos muito em nós como parte de uma comunidade gay segregada. Nos vemos como gays que fazem parte de uma sociedade composta por gays, héteros, crianças, idosos, casados, solteiros, etc.

Como foi sair do armário?

Bem, foi diferente para cada um de nós. Candido se assumiu muito mais cedo e teve mais problemas com a aceitação pela família. Para o Alex foi um processo mais demorado e que ocorreu em paralelo com sua independência pessoal e profissional. Acho que para ambos não foi um processo fácil. Atualmente somos muito tranqüilos com relação a isso, nossos familiares nos amam, nossos colegas de trabalham nos respeitam. Acho que um grande aprendizado para mim foi perceber que ao me assumir gay me tornei mais forte.

Se você pudesse dar um conselho para você mesmo antes de sair do armário, o que você diria?

Diríamos: vá em frente, não tenha medo, seja feliz e nada mais.”

One comment

Leave a Reply